minha cidade precisa de... Headline Animator

30 de out de 2012

O Matadouro Municipal de Dourado em Portugal

3° Seminário Internacional do Património
Agroindustrial - Tradição vs Inovação
Um artigo sobre o Matadouro Municipal de Dourado foi apresentado, na semana passada, no 3° Seminário Internacional do Património Agroindustrial - Tradição vs Inovação.


Quem tiver interesse, pode solicitar o artigo por e-mail: minhacidadeprecisade@gmail.com

O evento foi realizado no Museu do Douro, localizado na cidade de Peso da Régua, Portugal. Teve por objetivo reunir especialistas e profissionais da área do patrimônio cultural, arquitetônico e agroindustrial para discutir as suas pesquisas, trabalhos teóricos e casos práticos.

O artigo apresentado chama-se "Possibilidades de Preservação e Reuso do Prédio do Matadouro Municipal de Dourado (São Paulo, Brasil)".

Foi desenvolvido pela professora do IAU-USP, Maria Angela Bortolucci e por mim, com base nos documentos disponibilizados pelo senhor Antônio Demeti, a quem agradecemos. 

Está divido em:
  1. Introdução e Contexto Histórico
  2. Descrição e Condições Atuais do Prédio
  3. O Matadouro Municipal e seu Valor Cultural
  4. O Matadouro Municipal e o Contexto Local
  5.      Localização do Prédio e Planejamento Urbano
  6.      Possibilidades de Uso para o Prédio
  7. Conclusão
  8. Agradecimentos
  9. Referências
O artigo tem por objetivo desencadear um processo cuidadoso de preservação e reutilização do Matadouro e, para isso, defendemos, em primeiro lugar, a criação de uma lei municipal de preservação do prédio.

19 de out de 2012

Gastos municipais com cultura (etc....)

Dados do SEADE (Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados):

Em 2009, as cidades de Bocaina, Dourado, Ribeirão Bonito e Trabiju gastaram os seguintes valores com cultura:

  • Bocaina - 336.575,00 reais
  •                         Trabiju - 416.933,00 reais
  •                                              Dourado - 117.949 reais
  •                                                              Ribeirão Bonito -105.349 reais


Fonte: 
http://www.atribunamt.com.br/?p=109230
Quer saber quanto dinheiro foi gasto em outros setores, como saúde, educação, transportes, esportes etc.?

Acesse o link do SEADE e faça sua busca no Sistema de Informações dos Municípios Paulistas

18 de out de 2012

As cidades invisíveis


SUGESTÃO DE LEITURA:

As Cidades Invisíveis, do escritor italiano Italo Calvino

Um livro que nos é apresentado como uma conversa entre o grande explorador, Marco Polo, e o Kublai Kan, o imperador mongol, em que o primeiro descreve as cidades que visitou (ou não), ao segundo.

Mas na realidade aquilo que temos é um conjunto de vários mini-contos (55, para ser preciso), divididos e estruturados de forma matemática, com 11 temas, com 5 cidades contempladas em cada um, tudo dividido em 9 capítulos, intercalados com trechos de conversa entre as duas personagens.

As cidades descritas por Marco Polo têm um rigor matemático e geométrico, ao mesmo tempo que apresentam uma forte impressão subjectiva. Todas elas têm nomes femininos, todas elas são fantásticas... (clique aqui para continuar lendo)

Trechos:
As cidades e a memória - 1
Partindo dali e caminhando por três dias em direção ao levante, encontra-se Diomira, cidade com sessenta cúpulas de prata, estátuas de bronze de todos os deuses, ruas lajeadas de estanho, um teatro de cristal, um galo de ouro que canta todas as manhãs... (clique aqui para continuar lendo)

As cidades e a memória - 4
Ao se transporem seis rios e três cadeias de montanhas, surge Zora, cidade que quem viu uma vez nunca mais consegue esquecer. Mas não porque deixe, como outras cidades memoráveis, uma imagem extraordinária nas recordações. Zora tem a propriedade de permanecer na memória ... (clique aqui para continuar lendo)

As cidades e os símbolos - 2
Também retorno de Zirma: minha memória contém dirigíveis que voam em todas as direções à altura das janelas, ruas de lojas em que se desenham tatuagens na pele dos marinheiros, trens subterrâneos apinhados de mulheres obesas... (clique aqui para continuar lendo)
Final:
A segunda é arriscada e exige atenção e aprendizagem contínuas: tentar saber reconhecer quem e o que, no meio do inferno, não é inferno, e preservá-lo, e abrir espaço.


Para imaginar as cidades invisiveis: http://amycaseypaint.livejournal.com/


Fontes:

16 de out de 2012

Educação na época de construção dos Grupos Escolares

Falando em Grupo Escolar e em Dia do Professor...

O vídeo abaixo mostra um resumo da educação no Brasil e explica um pouco a educação na Primeira República.

Ajuda a entender porque os grupos escolares de Dourado, Ribeirão Bonito etc. foram construídos.

A diferença, a partir desse período, é que o ensino religioso deu lugar ao ensino leigo ou laico.

Assista:

15 de out de 2012

A arquitetura da EMEF Senador Carlos José Botelho

A EMEF Senador Carlos José Botelho foi construída na Primeira República, período que vai desde a Proclamação da República (novembro de 1889) até a Revolução de 1930.  


Em linhas gerais, a arquitetura do prédio da EMEF Senador Carlos José Botelho:

O prédio da EMEF Senador Carlos José Botelho foi tombado pelo CONDEPHAAT porque:
  • Possui valor cultural, histórico e arquitetônico, tanto em nível municipal como estadual;
  • Faz parte do conjunto de edificações escolares públicas construídas pelo Governo do Estado de São Paulo entre 1890 e 1930;
  • É testemunho da política pública educacional implantada naquele momento, que reconheceu como inerente ao papel do Estado prover as comunidades de ensino básico, dito primário, e de formar professores bem preparados para tal função;
  • Possui qualidade arquitetônica caracterizada pela técnica construtiva simples, mas adequada;
  • Possui uma linguagem que simplificou estilisticamente os atributos clássicos acadêmicos do século XIX (ecletismo);
  • Possui uma organização espacial que, concebida primordialmente através de projetos arquitetônicos padronizados, limitou-se a distribuir salas de aulas ao longo de eixos de circulação em plantas simétricas que incorporaram os preceitos de higiene, insolação e ventilação preconizados pela ciência da construção civil daquele momento (política higienista);
  • Sua relação com a configuração urbana do município.
Fontes: 

18 de set de 2012

Dia sem carro no Brasil

Dia Mundial Sem Carro será marcado por vários eventos em todo o País

Dia Mundial Sem Carro tem eventos para conscientizar sobre os problemas causados pelo excesso de veículos.

Data abre espaço para discussões de como promover a mobilidade de forma eficiente e com menos carros.

ADAMO BAZANI – CBN 

O uso excessivo dos carros particulares nas ruas e avenidas é um problema que afeta praticamente todas as nações, desde as mais prósperas até as que possuem população com menos recursos (clique aqui para ler e saber sobre os eventos pelo país).

17 de set de 2012

Dia sem carros em Bruxelas

Domingo passado (16 de setembro de 2012) foi o "dia sem carros" em Bruxelas.

Os transportes públicos - bondes elétricos, metrô e ônibus - circularam de graça. Taxis e outros veículos com permissão especial, como ambulâncias e carros de polícia, puderam circular com velocidade máxima de 30km/h

Os demais veículos motorizados, inclusive motos, ficaram parados até às 19h. 

A população tomou as ruas a pé, de bicicleta, patins, skate, patinete e outros veículos "sem nome"... :)

Também houve atividades "paradas" como teatros, shows, futebol na rua, feiras etc... A poluição diminuiu e, coisa rara, estava sol!

Bruxelas, "dia sem carros" ou, poderia ser, "dia das bicicletas"! Foto: Lu Mascaro, 16/09/2012

Bruxelas, "dia sem carros" ou, poderia ser, "dia das bicicletas"! Foto: Lu Mascaro, 16/09/2012 

Bruxelas, "dia sem carros" ou, poderia ser, "dia das bicicletas"! Foto: Lu Mascaro, 16/09/2012 

Bruxelas, "dia sem carros" com show! Foto: Lu Mascaro, 16/09/2012 

Bruxelas, "dia sem carros" e avenida vazia! Foto: Lu Mascaro, 16/09/2012 

Bruxelas, "dia sem carros" com jogos antigos! Foto: Lu Mascaro, 16/09/2012 

Bruxelas, "dia sem carros" ou, poderia ser, "dia das bicicletas"! Foto: Lu Mascaro, 16/09/2012 

31 de ago de 2012

As coisas estão mudando...

Atualmente, TODOS os assuntos são utilizados na propaganda política! 

Nem sempre como propostas bem fundamentadas e desenvolvidas, apenas como propaganda mesmo. Mas esse é outro assunto....

TODOS os assuntos aparecem, inclusive aqueles sobre planejamento urbano e patrimônio cultural. Já se vê candidatos mencionando anel viário, iluminação com painéis solares, transformação de prédio histórico em centro cultural etc., etc...

E ISSO É ÓTIMO!!!

Significa que assuntos como esses estão começando a fazer parte da preocupação das pessoas. Há uns tempos ainda era muito difícil se considerar arte, cultura, história, paisagem, arquiteura como assuntos importantes. Planejamento urbano, então, ninguém nunca tinha ouvido falar.

As coisas estão mudando... e para melhor!

Porém, é bom ter cuidado. Esses assuntos não podem ser resolvidos da noite para o dia. Precisam de planejamento de longo prazo, para além de um mandato de prefeito.

Voltando ao exemplo do Matadouro Municipal, fiz o seguinte comentário no facebook (e é por isso que escrevi sobre uma Lei Municipal de preservação desse prédio):

"Antes de determinar qual uso terá o matadouro (se terá), primeiro é preciso criar uma Lei Municipal que o proteja da degradação e do desaparecimento. Decidir se vai ser centro histórico, escola, restaurante ou o que for, depende de vários fatores

É preciso um estudo sobre isso, não se pode implantar lá qualquer coisa, pois pode não funcionar e descaracterizar o prédio. Além disso, o prédio está a beira do córrego, portanto em área de proteção ambiental que restringe os tipos de usosSe uma atitude precipitada de reforma for tomada, Dourado vai, com certeza, peder um patrimônio importante que ainda tem

No interesse de todos, me dirijo não apenas ao candidato acima, mas a todos os vereadores atuais, à associação de Dourado e aos cidadãos interessados: se estão realmente preocupados com o Matadouro, me disponho a ajudar a escrever uma "proposta de lei" que o proteja. Esse é o primeiro passo; depois se pode pensar na restaruração e uso do prédio. Por favor, entrem em contato comigo para viabilizar isso: minhacidadeprecisade@gmail.com"

30 de ago de 2012

Por que os Matadouros Municipais foram criados?


Prédio do Matadouro em 05 de Janeiro de 2012.
O Matadouro Municipal de Dourado-SP é um prédio de importância local e, possivelmente, regional. Trata-se de um testemunho do surgimento e desenvolvimento de muitas das cidades paulistas devido à cultura cafeeira: a segunda metade do século XIX e as primeiras do século XX.
Nessa época vários prédios – entre os quais os Matadouros Municipais - foram construídos para atender a uma nova política urbana: a política higienista. A base de tal política era a crença da medicina nos miasmas (emanações vindas de ambientes imundos contendo matéria orgânica em decomposição e responsáveis pelas epidemias), já que ainda não conhecia a ação dos microorganismos.
A política higienista teve início na Europa onde, no século XVIII, os centros urbanos apresentavam problemas de higiene. Lixo e detritos eram, muitas vezes, simplesmente jogados em via pública. No Brasil,

Matadouro Municipal: por que uma lei municipal de proteção?


Partindo do princípio de que o Matadouro Municipal de Dourado tem valor de patrimônio cultural local e, talvez, até regional, como garantir que esse "valor" seja passado para as gerações futuras e que seja bem utilizado?

Constituição Brasileira estabelece que cabe ao poder público - com o apoio da comunidade - proteger, preservar e gerenciar o patrimônio histórico e artístico do país.

Para tanto, existem organismos de nível federal, estadual e municipal. 

IPHAN - Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional - é o organismo de proteção do patrimônio que atua em nivel federal

CONDEPHAAT - Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico Arqueológico, Artístico e Turístico – é o organismo de preservação do patrimônio de nível estadual.

Dourado não tem um órgão de proteção do patrimônio em nível municipal. Porém, possui patrimônio cultural municipal - o prédio do Matadouro é um exemplo - que precisa ser protegido. Se não for, corre o risco de desaparecer.

Como garantir que esse patrimônio local não desapareça? 

1. Os cidadãos devem saber que a Lei Orgânica do município determina que faz parte de suas atribuições:

“promover a proteção do patrimônio histórico cultural do local (...) é responsável pela preservação de seu patrimônio histórico e artístico, cabendo-lhe impedir a evasão, destruição e descaracterização das obras de arte e outros bens de valor histórico e cultural”.

2. A criação de uma Lei Municipal específica para um prédio é uma maneira eficiente de garantir que ele não desapareça, enquanto a cidade não tem um órgão de proteção de seu patrimônio. 

OBS.: "desaparecer" significa perder suas características devido a ação do tempo, mas também, devido a reformas e intervenções mal realizados num prédio.

17 de ago de 2012

Carta Compromisso - verifique quem já assinou


Conheça o PROGRAMA CIDADES SUSTENTÁVEIS.

Ao assinar a  Carta Compromisso, os(as) candidatos(as) ao cargo de prefeito(a) estarão de acordo com as ferramentas propostas pelo Programa Cidades Sustentáveis

Na região, candidatos de DouradoPorto Ferreira, Descalvado e Brotas já assinaramVerifique aqui!

Ouça aqui Raí, Ana Moser e outras personalidades falando sobre a  Carta Compromisso e o Programa Cidades Sustentáveis.



Para assinar a Carta Compromisso acesse: 
http://www.cidadessustentaveis.org.br/carta

A decisão de assinar ou não revela o nível de compromentimento dos candidatos em relação à sustentabilidade das cidades

14 de ago de 2012

CURSO: Município para Candidatos (via internet)


Inscrições abertas


período de 13/08/2012 até 27/08/2012

carga horária: 20 horas


investimento: R$ 240,00

OBJETIVO:

Democratizar as informações referentes às principais características do Município e à organização política, administrativa e financeira do Governo Municipal, oferecendo subsídios para a elaboração de plataformas políticas a partir de bases confiáveis porque refletem a realidade nacional.

PÚBLICO-ALVO:

Candidatos e candidatas a cargos eletivos de Prefeito, Vice- Prefeito e Vereadores - no Município, nas eleições de 2012.

CONTEÚDO TEMÁTICO:

O curso está estruturado em 2 unidades:

Unidade I – O MUNICÍPIO NA ORGANIZAÇÃO GOVERNAMENTAL

  • O ambiente da atuação municipal
  • A valorização da função política
  • A dimensão institucional do Município
    • O Município e a Federação
    • Autonomia municipal
    • Governo municipal
    • Funções do Município e sua gestão
  • Controle da Administração Local
Unidade II  – PROMOÇÃO DO DESENVOLVIMENTO
  • O desenvolvimento econômico-social
  • O Município e o social
  • O Município, o urbano e o ambiental
  • O Município e sua realidade

13 de jul de 2012

Estações Brasileiras: que projeto!

MARCELO TOMAZ é cartunista, ilustrador, diretor de arte, designer, colunista e idealizador do projeto Estações Brasileiras

Seu objetivo é retratar a situação atual das mais de 5.000 estações ferroviárias existentes ou que já existiram no Brasil e organizar um banco de dados sobre elas no site http://www.estacoesbrasileiras.com.br/

Por enquanto, o projeto é sustentado apenas por seus próprios recursos financeiros e conta com a parceria do Jornal Tribuna Ribeirão e com uma lista de colaboradores.

Além de fotografar as estaçõesMARCELO TOMAZ desenvolve um poster temático para cada uma delas.

Visite o site e conheça o trabalho: 

Encontro em defesa do Patrimônio Cultural

 

De 12 a 14 de Setembro de 2012
Auditório do Ministério Público do Rio de Janeiro

Temas:
  • Proteção e valoração da paisagem como bem cultural
  • Aspectos atuais sobre a prevenção de danos ao patrimônio cultural e instrumentos de proteção e gestão
  • Diagnóstico, identificação e avaliação de danos em bens culturais
  • Incentivos e benefícios fiscais e financeiros para proprietários de bens culturais
  • Novas tecnologias e preservação internacional do patrimônio cultural
  • Repercussões de acordos e convenções internacionais na defesa do patrimônio cultural brasileiro
  • Nova compreensão do entorno dos bens tombados no panorama nacional e internacional 
  • Intervenção estatal obrigatória na proteção do patrimônio cultural 
  • Licenciamento ambiental e a atuação do Ministério Público na defesa do patrimônio
  • Tutela do patrimônio cultural 
  • Mitigação e compensação dos impactos ao meio cultural
  • Geodiversidade, geoconservação e geoturismo
  • Patrimônios arqueológico, paleontológico, espeleológico e ferroviário
  • Valorização, gestão e sustentabilidade do patrimônio cultural
Veja também no site da http://www.abrampa.org.br:


Patrimônios Mundiais no Brasil (texto e fotos)

Programa Cidades Sustentáveis

11 de jul de 2012

Frota de carros cresce

No interior de São Paulo, frota de carros 
cresce o dobro da capital
Rio Preto, Araçatuba e Jundiaí, por exemplo, já têm mais 
automóveis por habitante que SP

Fonte: http://www.estadao.com.br/noticias/cidades,no-interior-de-sao-paulo-frota-de-carros-cresce-o-dobro-da-capital,898490,0.htm
José Maria Tomazela, correspondente de O Estado de S.Paulo

SOROCABA - A frota de veículos no interior do Estado e na Grande São Paulo já cresce mais que o dobro do que na capital paulista.    O ritmo de crescimento paulistano vem caindo nos últimos quatro anos, conforme dados do Departamento Estadual de Trânsito (Detran).   De acordo com especialistas, enquanto a cidade de São Paulo não comporta mais carros, no interior há potencial para a frota crescer.   Em maio, dado mais recente, o número de veículos motorizados chegou... (leia o artigo completo aqui)

10 de jul de 2012

Resíduos Sólidos Urbanos


Fonte: http://raquelrolnik.wordpress.com/2012/07/04/residuos-solidos-urbanos-e-seus-impactos-socioambientais/
O lirvo é resultado do “I Encontro Acadêmico Internacional “Resíduos Sólidos Urbanos e seus impactos socioambientais””, organizado pelo Instituto de Eletrotécnica e Energias (IEE) da USP. 

9 de jul de 2012

CARTA COMPROMISSO para os candidatos

A lista de candidatos e respectivos partidos políticos foi divulgada!

Para o eleitor é o momento de verificar se o seu candidato está disposto a incorporar a sustentabilidade às políticas públicas de sua cidade.


Uma boa maneira de saber se ele se preocupa com isso é verificar se ele (e seu partido) assinou a Carta Compromisso do PROGRAMA CIDADES SUSTENTÁVEIS.


Verifique aqui se o seu candidato já assinou a Carta Compromisso.
Verifique aqui se os partidos dos seus candidatos já assinaram a Carta Compromisso.
Na região, candidatos de Porto Ferreira, Descalvado e Brotas já assinaram!


Ouça aqui os recados de Raí, Ana Moser, Frei Betto e outros para os candidatos e os eleitores (ou no site: http://www.cidadessustentaveis.org.br/divulgacao)

O que é a Carta Compromisso:
Do PROGRAMA CIDADES SUSTENTÁVEIS


Ao assinar a Carta Compromisso, os(as) candidatos(as) ao cargo de prefeito(a) estarão de acordo com as ferramentas propostas pelo Programa Cidades Sustentáveis. 

Se eleitos(as), deverão estar dispostos(as) a incorporar a sustentabilidade de forma transversal às políticas públicas da cidade, sempre procurando promover a participação da sociedade civil. 


Além disso, também deverão prestar contas das ações desenvolvidas e dos avanços alcançados por meio de relatórios, revelando a evolução dos indicadores básicos relacionados a cada eixo.

Os(as) candidatos(as) signatários(as) da carta receberão um selo de participação do programa, o qual será enviado pela equipe do Programa Cidades Sustentáveis.



Para assinar a Carta Compromisso acesse: 
http://www.cidadessustentaveis.org.br/carta


Não é obrigatório assinar a carta, mas a decisão de assinar ou não revela o nível de compromentimento dos candidatos em relação à sustentabilidade das cidades. É um aspecto importante a ser pensado antes de votar.

29 de jun de 2012

Cidade, skates - usos do espaço público

Leia abaixo alguns trechos do interessante artigo "A cidade e os skatistas" sobre a história do skate, de Leonardo Brandão, no http://piseagrama.org

Ou, clique aqui para ler o texto completo.

"O primeiro skate de que se tem notícia surgiu nos Estados Unidos no final do século XIX, quando alguns garotos resolveram, numa brincadeira inusitada, encaixar um pedaço de tábua nos eixos e rodas dos patins. Depois de algumas décadas, ou mais precisamente no ano de 1936, o novo brinquedo foi patenteado. No início, era visto como uma brincadeira de..." (clique aqui para ler o texto completo)

"Em 1988, Jânio Quadros decidiu proibir a prática do skate por toda a cidade. O Jornal Folha de São Paulo, que cobriu o acontecimento enfatizando passeatas e protestos de diversos skatistas, publicou matérias com opiniões contrárias à medida de Jânio, vista por muitos como conservadora, repressora e uma afronta ao livre direito de ir e vir. Cartas que chegaram à redação da imprensa especializada noticiavam o abuso das autoridades..." (clique aqui para ler o texto completo)

Leonardo Brandão, Bacharel e Licenciado em História pela (UDESC). Foi professor do curso de História da UFGD durante os anos de 2007 e 2008. Atualmente, com bolsa CNPq, ele se encontra em fase de Doutoramento pela PUC/SP.

Leonardo Brandão acaba de lançar o livro "A CIDADE E A TRIBO SKATISTA: juventude, cotidiano e práticas corporais na história cultural", pela Editora UFGD. 

Fonte: http://www.ufgd.edu.br/editora/catalogo/a-cidade-e-a-tribo-skatista-juventude-cotidiano-e-praticas-corporais-na-historia-cultural

Para quem tiver interesse no livro, entre em contato com Brandão: brandaoleonardo@uol.com.br.

Ou clique aqui para baixar a versão em pdf da obra.

Fontes:
http://www.ufgd.edu.br/editora/catalogo/a-cidade-e-a-tribo-skatista-juventude-cotidiano-e-praticas-corporais-na-historia-cultural 

28 de jun de 2012

Mobilidade sustentável começa na calçada

Políticas públicas devem prover passagens confortáveis e seguras, garantir respeito a faixas dos pedestres e semáforo, defendem especialistas


“Pode parecer banal falar de calçadas, de faixas de pedestres na discussão sobre soluções para mobilidade urbana, mas é inviável pensar até mesmo em um sistema de transporte público que não considere condições mínimas para o deslocamento a pé.” 

Esse diagnóstico é do secretário de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano do Ministério do Meio Ambiente (SRHU/MMA), Nabil Bonduki, urbanista e professor de planejamento urbano da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) da USP. 

O espaço público não é seguro para pedestres. O risco de machucar o tornozelo no buraco da calçada ou até mesmo de ser atropelado ao atravessar a rua, desestimulam as pessoas a andar a pé. E para andar de transporte público, precisamos, antes, andar a pé”, reforça.

Mesmo assim, desde a chegada da indústria automobilística ao Brasil, o pedestre vem perdendo a disputa da ocupação e circulação urbanas, se expondo, inclusive, ao risco de morte: dados do levantamento mais recente do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) indicam que, em 2008, 5.429 pedestres perderam a vida em acidentes de trânsito no Brasil. 

Só na cidade de São Paulo, quatro pessoas morem diariamente em acidentes de trânsito, em média, e metade são pedestres atropelados atravessando a rua ou até mesmo na calçada, segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET).

“Aqui em Belo Horizonte (MG) as calçadas são bem ruins... Depois que comecei a andar com minha irmã na cadeira de rodas, eu percebi que a coisa é bem mais precária do que eu imaginava. Há muitos locais (movimentados) em que temos de passar com a cadeira de rodas pela rua, porque as calçadas são totalmente inacessíveis”, diz Adriana Sanches Carvalho, no facebook do Akatu. (clique aqui para ler o texto completo)